Junior Mascote

Coluna Jorge Barros: 20 DE NOVEMBRO, O FALSO DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

25/11 Coluna Jorge Barros:                  20 DE NOVEMBRO, O FALSO DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

...E a sociedade brasileira continua atormentada por um falso moralismo; um falso moralismo que em nada difere da filosofia de boêmio. Boêmio é aquele indivíduo que leva a vida embalado por sonhos de uma noite de verão, e que diz frases sem sentido só para divertir os amigos que estão ao seu entorno; ou para passar as horas vadias. O Dia da Consciência Negra, 20 de novembro. E por que também não O Dia da Consciência Branca? E, se você assim desejar: O Dia da Consciência Parda, O dia da Consciência Morena, O Dia da Consciência Ruiva, O Dia da Consciência Loira? Bem que poderia ser o dia 21 de novembro, ou não? Quando essa esquerda socialista boêmia, vagabunda e inconsequente vai compreender que o homem não pode ser avaliado pela cor da pele ou pela sua aparência? Que o homem que transita por este planeta não precisa de cobertura ideológica racial, e sim, de espeito e consideração a todos os seus valores e direitos? Quando essa esquerda canalha vai aprender que OS NEGROS já têm consciência (e como têm!) de seu papel na sociedade e que não precisam de um dia de esmola para refletir sobre si mesmos e sua construção histórica e social para o bem comum? Bem comum para negros, brancos, morenos, ruivos, pardos, loiros ... No Rio de Janeiro já foi instituído O Dia Marielle Franco, dia 15 de março. Segundo os autores desse projeto bizarro e imbecil (ele só podia ter nascido de uma filosofia esquerdista socialista doentia), 15 de março será lembrado como o dia do não genocídio à mulher negra. E o dia do não genocídio à mulher branca? Mulheres brancas também são violentadas, assassinadas, espancadas. A imbecilidade esquerdista mergulha tanto no teatro do absurdo que, sequer, deixa a ex-vereadora Marielle Franco descansar em paz em seu túmulo; descansar em seu sono infindável. Aos mortos, apenas lembrança, reverência e respeito. Na foto desta coluna, registrada no dia 31 de dezembro de 2012, e não em 20 de novembro desse mesmo ano, uma flor para um ser humano, pouco importando se para um negro ou para um branco. Nunca eduque o seu filho para que ele respeite o negro, o branco, o gay, o drogado, o mendigo, o bêbado, o favelado, o prostituído, o sem-terra, o pobre ... Sempre eduque o seu filho para que ele respeite o ser humano. Assim se constrói uma sociedade pautada nos valores éticos, morais e na justiça social. Ficou claro ou é preciso outro texto? Professor Jorge Barros

Contador de Cliques



Deixe um comentário:



Captcha


JOSÉ ALBERTO BRAGA COSTA Quinta-Feira, 25/11 às 17:11
JB, você devia perguntar é se há consciência branca para que se possa homenagear, visto que o cidadão branco nunca passou por escravidão, nunca viu a coroa ser posta em qualquer pessoa que não fosse da sua elite de mais que 100.000 réis como garantia patrimonial e nunca precisou disputar vagas em quaisquer lugar, seja para estudar, enriquecer ou se patrimonializar. É fato que vossa herança étnica abarca os pretos, mas você é um acaso frente à regra, não havendo facilidade para os excluídos sociais. É por isso que não há necessidade de se comemorar algo que não é vitória, mas sim, é apenas falta de humanidade. É pena que você compactue com o opressor, com o carrasco e com quem desdenha do sofrimento alheio, já que defendes esse desgoverno apátrida que aí está.