Coluna Jorge Barros: O AEROPORTO E A INCOMPETÊNCIA DA CLASSE POLÍTICA DE JEQUIÉ

Quarta-Feira, 15/05/19

Muitos jequieenses se perguntam: Por que outros municípios do interior da Bahia experimentam o doce sabor do progresso socioeconômico, enquanto Jequié está cada vez mais amargando a decadência econômica, política, social e cultural? Por que Vitória da Conquista, distante de Jequié por apenas 155 Km, desponta como uma das cidades mais prósperas do interior baiano, enquanto Jequié despenca no ranking das cidades mais desenvolvidas economicamente? Por que, segundo divulgação da própria imprensa, o governo do estado da Bahia assumiu o Aeroporto de Ilhéus, enquanto o de Jequié está em completo abandono, isto é, à margem da vida? Por quê? Por quê? Por quê? A resposta é muito simples: A decadência da sua classe política é culpada por esse estado de miséria e subdesenvolvimento; ela tem tudo a ver com estado de regressão que Jequié vem experimentando anos após anos. Essa reflexão não é uma hipótese; é uma teoria. Em 2009, a classe política de Vitória da Conquista pressionou de forma excessiva o governador Jaques Wagner para que o mesmo não criasse a Universidade Estadual do Rio das Contas (UNERC) e, por conseguinte, Jequié mais uma vez foi derrotada; continuou, em matéria de ensino superior, subalterna a Vitória da Conquista. A classe política de Jequié só cuida bem mesmo é de levar vantagem em tudo e sobre todos, bem como de se articular muito estrategicamente e malandramente para enganar o eleitorado em período de eleição. Você ainda tem dúvida disso? Nas diversas vezes em que o governador aqui chegou, alguém já presenciou ou já teve notícia de algum político jequieense cobrar do mesmo alguma Obra de Peso para Jequié? A classe política de Jequié já mobilizou a comunidade para ir em caravana a Salvador e cercar a governadoria, para cobrar do governador investimentos sérios e históricos para o progresso socioeconômico de Jequié? Certamente que não. Ela só cobra do governador, e quando cobra, miudezas, cestas básicas, agricultura de subsistência, pão, farinha, feijão e arroz etc. Ela (a classe política) só cobra do governador pequenos investimentos para sustentar a sobrevivência do cidadão comum. Essa cobrança não é incorreta. Porém, a função de uma classe política que se respeita e respeita o voto dada a ela, vai além dessa forma medíocre e provinciana no tratamento de questões políticas e eleitorais. Será que o executivo e o legislativo de Jequié estão esperando que uma tragédia aérea com mortes e feridos aconteça no decadente Terminal Aeroviário de Jequié para, quem sabe, despertarem de sua maldita e profunda inércia e atuarem como representantes políticos sérios e comprometidos com a sociedade jequieense? Perguntar não ofende. A foto desta coluna exibe a mobilização ocorrida em março de 2015, em defesa do Aeroporto de Jequié, da qual atuei como Coordenador Geral, com muito prazer e honra, diga-se de passagem. Ser grande é abraçar grandes causas (Williams Shakespeare)
Professor Jorge Barros
barrosmjb@gmail.com ??;

Deixe um comentário:



Captcha


JOSÉ PAIVA DOS SANTOS Quinta-Feira, 16/05 às 14:05

CARÍSSIMOS INTERNAUTAS: Sabemos que a nossa cidade Professor Jorge!, a população de um modo geral; existem gatos pingados que ainda em programas jornalísticos arriscam fazerem cobranças ao executivo e ao legislativo sem muito êxito. A sociedade em si, a exemplo de várias Associações de Classes é quem mais deveriam se irmanarem para buscarem soluções para ás causas mais complexas de nossa cidade. De vez em quando! a coisa aperta para os lados deles próprios, é que fazem algumas reivindicações ou seja reuniões reivindicatórias. Sempre em meus comentários dou algumas opiniões! para que os políticos e toda a sociedade deverão sentarem na mesa para discutir Jequié. Só desta maneira é que poderemos obter algum sucesso. Lembro-me bem! que o então ex governador Jaques Wagner teve em Jequié e prometeu de alto e bom som! a construção da ponte no Rio das contas, entre o bairro Mandacaru para o bairro Jequiézinho e desta maneira, findou-se o mandato só ficando a promessa. Pelo menos, temos o prazer de dizer que temos uma 1ª Dama natural de Jequié, A digníssima Aline Peixoto, sentindo ás eminentes dificuldades na área de saúde, sensibilizou-se com o estado precário em que se encontrava o Hospital Prado Valadares e reivindicou a seu esposo o Governador Ruy Costa, reformando o mesmo e construiu um anexo deste glorioso HGPV. Também construiu a UPA e o SAC no bairro mandacaru, e terminou revitalizando mais uma UPA no bairro Cansanção que á anos vinha se deteriorando por várias administrações passadas. Só que para nosso município ainda é muito pouco, porque nossa cidade está carente de quase tudo. A exemplo de 01 aeroporto, 01 CEASA, 02 ou 03 Pontes, abertura de novas Avenidas para escoar o trânsito que está a cada dia mais caótico. Necessitamos de Pavimentação asfáltica em vários bairros periféricos e centro, Para que possa contratar empresas de ônibus coletivo, pois a cidade se encontra infestada de motos e mototáxis, justamente porque não foram feitos os serviços essenciais de uma cidade em desenvolvimento. Muitos Profissionais liberais e proprietários de fábricas não querem vir trabalharem em nosso município, justamente porque não oferece condições de se deslocarem com rapidez para suas cidades de origem para visitarem seus familiares. Então Jequié está necessitando urgente e urgentíssimo de todos os Parlamentares que por aqui passaram solicitando votos e que foram vitoriosos, trazerem recursos para amenizarem ás deficiências mais urgentes. Inclusive contar novamente com os préstimos do Governador do Estado, para poder alavancar um clima de Progresso nesta cidade que outrora era pujante, causando impacto á vários municípios do interior. já foi! e hoje agoniza neste atraso sócio econômico e sustentável, além das péssimas administrações em que se passaram, ou seja, a cidade tem mais de 25 anos de atraso. (ESTA É A MINHA OPINIÃO!)
» Responder

Silvana Biondi Quinta-Feira, 16/05 às 11:05

As regras ortográficas da língua portuguesa definem o uso da consoante m antes das consoantes p e b. Portanto, escreve-se INCOMPETÊNCIA! Observe a grafia no titulo do texto!
» Responder

Carlos Augusto Quinta-Feira, 16/05 às 09:05

Professor é pertinente a sua colocação, mas não acho que só os políticos são os responsáveis pelo nosso atraso, mas também a população que padece de uma inércia jamais vista em qualquer cidade deste porte. É inacreditável Professor!!
» Responder

revoltado Quarta-Feira, 15/05 às 22:05

A primeira Dama do Estado é de Jequié...
» Responder

Nemias Queiroz Quarta-Feira, 15/05 às 21:05

Uma pergunta que não quer calar: E a nova ponte que ligará o Mandacaru ao Jequiezinho, como anda????
» Responder