Coluna Jorge Barros: Chegou a hora de os brasileiros cercarem Brasília (Parte III)

Quinta-Feira, 20/04/17

O Congresso Brasileiro, o Escritório do Crime Organizado dos bandidos que resolveram assumir representações políticas em Brasília, discute, atualmente, reformas que visam melhorias na engrenagem do Estado. Na bandeira dessa engrenagem constam: as reformas trabalhista, da previdência e política. Até aí tudo bem, porque temos consciência de que, em um Estado Democrático e de Direito, as reformas são imprescindíveis para a modernização da economia e a evolução da sociedade. Mas, essas reformas só têm caráter de seriedade e de legitimidade se amplamente discutida com a sociedade civil organizada e conduzida por representações políticas (mandatos de deputados federais e senadores) eleitas por vias honestas através de campanhas sérias, das propostas políticas dos candidatos e do voto consciente do eleitorado; o que não é o caso da maioria dos deputados federais e senadores bandidos em alto grau; eleitos via Roubalheira Chamada de Caixa 2, comandada por empreiteiras viciadas e corruptas, tendo a Odebrecht como a rainha de todas elas. Cuidado! Reforma trabalhista proposta por essa turma não é nada confiável! Reforma política discutida e aprovada por bandidos que hoje são deputados federais e senadores não merece nenhuma credibilidade; Reforma da previdência feita por deputados e senadores que, descaradamente, metem a mão no dinheiro público para se elegerem e sustentarem uma vida de luxo e de mordomias, não tem nenhuma credibilidade. O primeiro cerco a Brasília foi feito terça - feira, 18, por um grupo de três mil policiais que fizeram uma barulhenta manifestação em torno da Câmara Federal, no exato momento em que centenas de gatunos transformados em políticos discutiam a reforma da previdência. É bom que o incompetente Michel Temer e sua trupe tomem consciência dos fatos. Pelo menos para os policiais a paciência já se esgotou. Bom seria se todas as outras categorias fizessem o mesmo em torno da Câmara dos “Depravados Federais”. O relator da reforma da previdência, o deputado Artur Maia, temendo derramamento de sangue recuou. O texto que estabelecia a idade mínima de 60 aos para os policiais se aposentarem, foi modificado. Pelo novo texto a idade mínima exigida é de 55 anos. Mais uma vez um pensamento do grande Brecht: Apenas quando somos instruídos pela realidade é que podemos modificá-la. Parabéns para todos os policiais brasileiros. Lamentei muito não ser possível marcar presença na manifestação do dia 18. Os homens que pensam e não se dobram aos bandidos políticos que têm assento no Escritório do Crime Organizado em Brasília estão com vocês. Chegou a hora de os brasileiros cercarem Brasília, isto é, cercarem o STF, o STJ, o STE, o Palácio do Planalto, o Palácio do Jaburu, o Senado e a Câmara dos Deputados. Chegou a Hora de a Onça Beber Água. Saia do seu imobilismo! Reaja! Vá a Luta!
Professor Jorge Barros
UESB – Campus de Jequié.



Deixe um comentário:



Captcha