Coluna Jorge Barros: Ainda sobre a Comissão Nacional da Verdade e o desaparecimento do pai do atual presidente da OAB

Segunda-Feira, 12/08/19

Nesta coluna continuaremos a publicar verdades que incomodam; verdades que inquietam os amantes da maldita ditadura do proletariado; verdades que trazem à tona as mentiras que a esquerda, que governou o Brasil durante os mais terríveis 16 anos, procura, a todo o custo, ocultar de você; procura ocultar de todos nós. Não é à toa que os livros de história, publicados nesses mesmos 16 anos, exibem somente uma face da moeda no tocante aos principais acontecimentos no período do regime militar (1964-1985). Esses livros exibem somente mortes, torturas, exílios, cassações etc, dos “heróis” da luta armada. Desgraçadamente vivemos em uma sociedade sem leitura, sem desejo de conhecimento. Estamos sempre em confronto direto com centenas e mais centenas de indivíduos vazios de conteúdos e sem o mínimo de conhecimento de História do Brasil e de História Geral; e incapazes de formar opinião. Nesta coluna, o espaço reservado a comentários, revela, inquestionavelmente, alguns deles. Os seus comentários sobre alguns temas, bem como em relação a minha pessoa, estremecem qualquer pessoa portadora de alguma dose de raciocínio lógico. Lamentavelmente, teremos sempre idiotas úteis e imbecis de plantão aqui, ali e alhures. Mas o show deve continuar. O Presidente Jair Messias Bolsonaro pode ter todos os defeitos como homem e como político; ele pode ser incoerente e inconsequente em diversas ocasiões, atitudes e falas; ele poderá ser considerado, no futuro, o presidente mais desastrado que este país já teve etc, mas um fato é inegável em relação à sua pessoa: sempre mostrou sua cara, sua indignação e suas verdades quando o assunto é “golpe militar” na visão dos saudosistas e amantes da ditadura do proletariado no melhor estilo marxista-leninista-stalinista- castrista. Se você quer uma prova cabal disso, veja (ou reveja) em diversas comissões da Câmara do Deputados, suas posições políticas e pessoais sobre esse tema. Entrando no Palácio do Planalto pela porta principal como ele entrou, certamente não se calaria sobre o tal “golpe militar”, luta armada, guerrilha urbana, o papel dos militares no período do regime militar, as mentiras e verdades de cada um etc. Quando se estabelece uma COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE (CNV), é de se esperar, no mínimo, que todas (ou quase todas) as verdades sejam expostas e que sejam visíveis a olho nu. As verdades dos dois lados da história, obviamente. Entretanto, como era de se esperar, a CNV de Dilma Rousseff só poderia publicar as meias verdades dos guerrilheiros urbanos que roubavam, matavam, falsificavam documentos, disseminavam o terror em ruas e praças púbicas, sequestravam embaixadores, praticavam justiçamento ( assassinatos de combatentes que queriam desertar ou não concordavam com métodos criminosos do grupo) e explodiam bancos, aeroportos, repartições e praças públicas; tudo em nome da democracia, segundo eles, mas tudo era em nome da ditadura do proletariado. Daí, não foi à toa que Bolsonaro substituiu muitos membros da CNV, e com certeza fará outras mudanças. Quanto ao senhor Fernando Santa Cruz (pai do atual presidente da OAB, o advogado Felipe Santa Cruz), integrante da Ação Popular (AP), um dos mais terríveis grupos terroristas e sanguinários da luta armada no Nordeste, e desaparecido em 1978, resta a Bolsonaro dizer o que sabe sobre o mesmo. Se ele foi assassinado pelos militares, que revele isso; se ele foi assassinado pelos próprios camaradas, vítima do julgamento do tribunal revolucionário (justiçamento), que revele isso. Eu quero saber de tudo; nós queremos saber de tudo. Em uma guerra de ideologias e pela ocupação do poder, a morte e as perdas rondam todos os lados. Somente os idiotas pensam o contrário. E que o diga o mini manual do guerrilheiro urbano do sanguinário, calculista e frio Carlos Marighela. Antes de você fazer seus comentários sobre esta coluna, é aconselhável consultar um livro de história do Brasil que aborda o período do regime militar. Procedendo assim você evita de estar escrevendo bobagens e asneiras.
Professor Jorge Barros

Deixe um comentário:



Captcha


Kiko Mendes Terça-Feira, 13/08 às 08:08

Ñ é possível que só os bolsominions "como o professor" estão corretos e o resto do mundo está errado rsrs. A propósito, já que quer saber tudo pq ñ publicou nada até agora sobre Queiroz e a laranjada bolsonarista? Fica a dica..
» Responder

Pedro paulo Terça-Feira, 13/08 às 07:08

Quem escreve asneiras e bobagens e o senhor!!! Faça um favor a população jequieense e recolha-se no seu ostracismo!! Temos tantos.problemas sociais para serem discutidos, quem é você para mudar a história??? Quer se aparecer ne??? So.pode!! fala tanta m.e.r.d.a que nos.faz.lembrar o chefe do executivo. Junior mascote mantenha o.nivel e qualidade do seu blog
» Responder

Lidiane Terça-Feira, 13/08 às 07:08

Parabéns professor !!! O governo militar só foi ruim para os vagabundos ,terroristas que queriam transformar nosso País semelhante à Cuba . Só os desinformados não sabem ,a comissão da verdade tem o nome errado era pra ser A verdade que o PT quer .
» Responder

Tiago Segunda-Feira, 12/08 às 22:08

Não é possível que uma pessoa como esta, que tem como projeto executado na vida, uma ridícula exposição de garrafas, fique falando besteira e aidatem quem publique, pelo amor de Deus.. Você precisa se tratar ...
» Responder

leo Segunda-Feira, 12/08 às 14:08

antes de voce fazer comentarios professor aloprado,todos nos sabemos que voce apoia esse governo horrivel,antes de bozo todos nos sabemos que existia ditadura que agia com truculencia matando e torturando pessoas,ai veio um certo presidente retardado e disse que nada disso existiu
» Responder