O que nos reserva o ano de 2017?

Hoje, 30/12/16

O ano de 2016 dá os seus últimos suspiros. Nós, brasileiros trabalhadores, sentiremos saudade deste ano que se finda? Desejaríamos vivê-lo novamente? Nele ficou algum rastro de boas lembranças? Por incrível que pareça só o tempo dirá. O que ficará de concreto na memória de cada cidadão de bem é que o ano de 2016 foi um dos piores anos que já experimentamos. E olha que a natureza até nos foi generosa, não nos castigando com terremotos, fúrias e tempestades, vendavais, vulcões em erupções, tufões e outras catástrofes que deixam a terra desolada, arrasada. Para nós brasileiros, a destruição veio pela mão de governantes bandidos que tratam a coisa pública como se fosse sua (você sabe a quem estou me referindo) e de bandidos que se tornaram políticos pelo voto dos incautos; exatamente para saquearem os cofres públicos e se enriquecerem ilicitamente. Ao terminar de ler essa matéria, liste todos os governantes bandidos e bandidos que se tornaram políticos (senadores, deputados federais e estaduais, vereadores) que você conhece e/ou já ouviu falar deles. O que tivemos no ano de 2016? Uma profunda recessão econômica; somente experimentada no início do século passado. E, é claro, com essa profunda recessão: o desemprego de milhões de brasileiros, inflação alta, perda do poder aquisitivo de muitas classes trabalhadoras, PIB em decrescimento, o fechamento de milhares de postos de trabalho, baixa qualidade de vida, crescimento da pobreza e da criminalidade e outras mazelas. Observe você, leitor, que apesar da crise institucionalizada, nenhum político do PSDB, do PT, do DEM, do PC do B, do PSC, do PMDB, do PDT, do PV, do PSB etc, sai pobre. Nunca saíram. Por quê? A resposta é simples: Eles mesmos determinam quanto devem ganhar e têm foro privilegiado, isto é, só são julgados por desvio de conduta pelo STF, que, por sua vez, leva anos para julgá-los. Pobres ficamos nós que pagamos uma excessiva carga de impostos para sustentá-los. Quando mudaremos isso? Até quando ficaremos calados? Quando despertaremos desse maldito sono profundo que não nos permite reagir contra os políticos que roubam o nosso único pedaço de pão e o último centavo que ficou no bolso? Em 2017 continuaremos calados? Em 2017 continuaremos a ver o Supremo Tribunal Federal (STF) generoso e complacente com os políticos que envergonha a nação e zomba da Constituição? Em 2017 cercaremos o prédio do STF, da Câmara dos Deputados, do Senado e do Palácio do Planalto, para exigirmos decência na política e punição aos bandidos políticos que nos roubam cotidianamente e desrespeita a cidadania brasileira e a Constituição? O que nos reserva 2017? O grande Martin Luther King já dizia: O que me incomoda não é o grito dos maus, e sim o silêncio dos bons. Para você refletir. Apesar de tudo, um Feliz 2017 para Junior Mascote e os demais jequieenses.

Professor Jorge Barros - UESB

Jorge Barros

Jorge Barros

Professor da UESB, poeta, ator e agitador cultural


Deixe um comentário:



Captcha