EM 2018, Esperança Ainda

Quinta-Feira, 28/12/17

EM 2018, Esperança Ainda



Em 2018, esperança ainda, apesar da permanência de Michel Temer no poder (permanecerá mesmo?) e de Brasília continuar sendo a terra de políticos prostitutos, políticos que não resistem o tirintintim das moedas diante dos seus olhos e, por isso, vendem-se por qualquer punhado de reais. O atual secretário de governo do presidente Temer, o ministro Carlos Marun, foi peremptório em cinicamente afirmar que dinheiro de bancos públicos pode ser usado para a compra da consciência de deputados em prol da Reforma da Previdência. O deputado foi eleito para legislar em defesa da sociedade, em defesa das causas sociais e políticas, ou para atuar como prostituto da Zona da Boca-do-Lixo da política brasileira? Esperança é a última que morre, já diziam nossos antepassados. A nossa continua viva, ainda bem. E não desistiremos dela. Em 2018 continuaremos com um Brasil de contrastes, de miséria, de intolerância, de crises de ética e de moralidade política em todas as esferas públicas, e de corrupção – chaga maior que desgraça a vida de todos os brasileiros de bem. Esperança para mudar isso. Mas, esperança sem luta, sem combate, o efeito é mínimo; é bem próximo de zero. Por tanto, o ano de 2018 só será diferente se você lutar, se você sair do imobilismo e da alienação e da apatia. Em 2018, você irá à urna votar em algum representante político para ele receber altíssimos salários e viver uma vida de milionário, e continuar lhe traindo e lhe roubando? Que tal, antes de irmos à urna, cercarmos Brasília e tirarmos de lá a lama que mancha a Constituição Brasileira! Chegou a hora de Organizar a Resistência! A corrupção é o fruto podre da nossa indiferença política (Miral Pereira dos Santos)

Professor Jorge Barros

Jorge Barros

Jorge Barros

Professor da UESB, poeta, ator e agitador cultural


Deixe um comentário:



Captcha