... E o bordel continua funcionando

Sexta-Feira, 01/12/17

... E o bordel continua funcionando

Somos os verdadeiros culpados por tudo o que acontece de errado com a política e com os políticos deste país. Quanto às ações nefastas dos bandidos e prostitutos que hoje assumem cadeira no legislativo ou no executivo federal, estamos sempre nos queixando, estamos sempre murmurando e, cotidianamente, expressamos indignação e revolta. Só isso, nada mais do que isso. Não fazemos aquilo que deve ser feito: a radicalização - o fechamento do bordel chamado “Brasília “. Enquanto nos distraímos que com futebol, samba, carnaval e cerveja, os bandidos e prostitutos que residem nesse bordel fazem urgia com o nosso dinheiro, têm uma vida de luxo que causa inveja aos marajás das bandas do oriente e zombam da nossa paciência, miséria e alienação. Quando fecharemos esse bordel? Quando colocaremos cadeados nos portões desse prostíbulo? Quando cercaremos BRASÍLIA? Somos os verdadeiros culpados por todas as desgraças, desilusões e a roubalheira que acontecem na política brasileira. O que está acontecendo no Rio de Janeiro é um incontestável exemplo. Mas tudo pode ser mudado, porque nada é impossível de mudar, como dizia Brecht. Já tomei uma decisão drástica: Enquanto não fechar o bordel chamado “BRASÍLIA”, não irei às runas para eleger candidatos a cargos políticos. Tome também essa atitude. Revolte-se, reaja, radicalize.

Professor Jorge Barros.

Jorge Barros

Jorge Barros

Professor da UESB, poeta, ator e agitador cultural


Deixe um comentário:



Captcha