As verdades de Jair Bolsonaro desconstroem a farsa do Programa Mais Médicos, implantado em 2013.

Quarta-Feira, 28/11/18

E a “Esquerda Brasileira Corrupta e Criminosa “, que governou o Brasil de 2003 a 2016 (a decisão do juiz Vallisney de Souza Oliveira, acatando a denúncia do Ministério Público Federal, confirma isso), foi à lona; foi totalmente desmascarada pelas verdades de Bolsonaro sobre o Programa Mais Médicos, implantado em 2013. O falso socialismo - comunismo cubano, implantado em 1959 por combater a exploração do homem pelo homem, por se contrapor a exploração dos trabalhadores pela odiada classe burguesa opressora e por defender com unhas e dentes a ditadura do proletariado, juntamente com a Esquerda Brasileira, escravizou, humilhou e explorou à exaustão os seus médicos do tal “Humanista Programa Mais Médicos”. O navio cubano da escravidão dos médicos cubanos navegava tranquilamente pelos mares do falso socialismo-comunismo quando, de repente, um grande terremoto subaquático, denominado Jair Messias Bolsonaro, o fez retornar imediatamente ao principal porto de Havana. Esse Programa Mais Médicos apenas mascarava a cruel realidade. Os patrões do mesmo obrigavam milhares de médicos cubanos escravos aqui trabalharem para que a Ilha de Fidel ficasse com os polpudos lucros. Mas, lucros é um termo muito usado no contexto da ideologia capitalista-burguesa pelos próprios esquerdistas bandidos e criminosos. Os médicos estrangeiros de outros países que participam do verdadeiro Programa Mais Médicos recebem integralmente o salário de R$ 11.520,00 ( onze mil e oitocentos reais) enquanto os escravos de Cuba do falso programa apenas recebiam R$ 3.000,00 ( três mil reais); a diferença, R$ 8.520,00 ( oito mil e quinhentos e vinte reais ), ia para os cofres dos ditadores comunistas cubanos. Para o governo da Corrupta e Criminosa Esquerda Brasileira (2003-2016) não importava burlar as leis trabalhistas brasileiras, que, dentre outras regras, não permitem que profissionais que desempenham as mesmas funções tenham remuneração diferenciada. Outros crimes mostram a verdadeira face do regime de escravidão do programa: os médicos não podiam trazer suas famílias, porque as mesmas ficavam em Havana como reféns; os médicos trabalhavam vigiados por agentes secretos da polícia da ditadura cubana, mas enquadrados como médicos e remunerados com o dinheiro de nossos impostos; os médicos não tinham o direito de liberdade de locomoção, mesmo trabalhando em terras estrangeiras; os médicos estavam exercendo a profissão sem se submeterem ao exame do revalida etc. Há relatos de que muitos integrantes do programa eram agentes de saúde, enfermeiros etc, e não médicos. Como já era previsto, ativistas da Esquerda Canalha, Corrupta e Criminosa já estão divulgando na mídia que Bolsonaro extinguiu o Programa Mais Médico. Porém, Bolsonaro não tem autoridade para extinguir esse programa, haja vista que ele ainda não ocupou a cadeira número 01 dos governantes brasileiros. Ele apenas deu declarações de que daria continuidade ao mesmo, mas pelo viés da legalidade das leis trabalhistas e do respeito aos direitos inalienáveis dos médicos cubanos e de suas famílias. Perguntas que não querem calar: A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) veio a público se manifestar sobre esse tirano regime de escravidão em terras brasileiras? O Conselho Federal de Medicina (CFM) emitiu publicamente uma nota de repúdio sobre a exploração desses trabalhadores na área da saúde? Centrais Sindicais que se dizem defensoras contumazes dos trabalhadores repudiaram a exploração do “Estado Cubano pelo Homem”? Por que os artistas, os intelectuais ativos, os pensadores dinâmicos, os filósofos autênticos, a mídia sensacionalista, os professores e alunos vermelhos da área de Direito Trabalhista, as artistas desonestas e lacradoras da Hashtag “ELENÃO”, todos ante – Bolsonaro, calam-se diante desse crime? E que Bolsonaro continue na trilha certa para quem sabe, futuramente, nas estampas de milhões de camisas verde-amarela leia-se a frase: BOLSONARO 2022! E, pela k-ésima vez, o aviso à Esquerda Corrupta, Bandida e Criminosa: Lutaremos até as últimas consequências para que a nossa Bonita Bandeira Brasileira (BBB) jamais seja vermelha!

Professor Jorge Barros, para todos, com muito prazer!

Jorge Barros

Jorge Barros

Professor da UESB, poeta, ator e agitador cultural


Deixe um comentário:



Captcha